Supostamente o FBI já conseguiu entrar no iPhone 11 Pro Max sem necessitar da Apple - Anonymous Hacker

[Latest News][6]

Adobe
Análise de Vulnerabilidade
ANDROID
ANONYMOUS
Anti Vírus
ANTI-DDOS
ANTI-SPYWARES E ADWARES
Antivírus
APK PRO
APOSTILAS
apps
Ativador
CIÊNCIA
Compartilhadores
Computador pc
CURSO PHP
CURSO TCP / IP
CURSOS
Cursos Diversos
CYBORG
CYBORG FALÇÃO
DDOS
DEEPWEB
Desenvolvimento Web
DICAS
Diversos
DOCUMENTARIO
DoS
Editor de Áudio
Editor de Imagem
Editor de Texto
Editor de Vídeo
Engenharia
EXPLOIT
FACEBOOK
Ferramentas de rede
FORENSE DIGITAL
Fundamentos financeiros
Gravadores
Internet
INVASÕES
IPHONE
JOGOS
KALI LINUX
Limpeza e Utilitários
Lixão
MAC OS
macOS
Malware
Manutenção de Pcs
MySQL
NOTÍCIAS
PAGINA FAKE
PHP SCRIPT
Produtividade
Programa De Invasao
PROGRAMAÇÃO
PROGRAMAS
PROXY
SCRIPTS
SEGURANÇA
Seo
SHELL
SISTEMA OPERACIONAL
TÉCNICA DE INVASÃO
Termux
tools
Utilitários
VIDEOS
VPN
WHATSAPP
WINDOWS
Wireless Attacks
z=

Supostamente o FBI já conseguiu entrar no iPhone 11 Pro Max sem necessitar da Apple



UMrelatório compartilhado pela Forbes alega que o Federal Bureau of Investigation  (FBI) usou hackers de terceiros para desbloquear um iPhone 11 Pro Max no ano passado. O iPhone, em questão, pertence a Baris Ali Koch - um acusado de ajudar seu irmão condenado a fugir do país mentindo para as autoridades. Esse foi um evento raro de desbloquear um iPhone pelas autoridades policiais relatadas até o momento.
O FBI nunca concordou que o iPhone 11 foi hackeado usando uma ferramenta de hackers de terceiros, mas o advogado de Koch disse que a senha para desbloquear o iPhone não era compartilhada com o FBI e desbloquear o dispositivo de qualquer outra maneira como o FaceID não era praticamente possível.
Em um mandado de busca apresentado em 30 de outubro de 2019, afirma-se que o FBI tinha uma unidade USB em sua posse que continha uma análise forense do iPhone derivada de GrayKey. GrayKey é uma ferramenta de hardware usada para abrir um iPhone para extrair dados. Agências como ICE e DEA costumam usar o GrayKey para acessar informações dos iPhones dos criminosos.

FBI no massacre de tiros em Pensacola

Recentemente, o FBI pediu à gigante tecnológica Apple para ajudar a desbloquear dois iPhones, incluindo um iPhone 5 e um iPhone 7. Ambos os iPhones foram possuídos por Mohammed Saeed Alshamrani, que matou três marinheiros e feriu brutalmente cerca de oito pessoas no massacre de Pensacola.
A Apple compartilhou todas as informações relacionadas aos iPhones, bem como os dados armazenados no iCloud vinculado, mas recusou-se a desbloquear os iPhones. A Apple afirmou que desbloquear um iPhone é contra suas políticas e criará problemas de confiança em todos os usuários da Apple.
Agora, com o recente relatório do FBI, surge a pergunta: por que as autoridades estão pressionando a Apple para desbloquear os dois iPhones, apesar de poderem usar o GrayKey para desbloqueá-lo eles mesmos? É visto como uma medida para aumentar a pressão sobre a Apple para permitir aos órgãos policiais desbloquear iPhones quando necessário.
A partir de agora, o FBI, o presidente dos EUA Donald Trump e o procurador-geral Barr vão usar o massacre de Pensacola para iniciar uma luta legal contra a política de criptografia da Apple. Donald Trump repreendeu a Apple dizendo que a gigante da tecnologia não está cooperando com o Departamento de Justiça. A Apple lidou com um caso semelhante a este em 2016, quando a empresa se recusou a desbloquear um iPhone relacionado ao incidente de tiroteio em San Bernardino.

Sobre Luiz Paulo

quando uma impressora desconhecida pegou uma galera do tipo e a mexeu para fazer um livro de espécimes do tipo. Ele sobreviveu não apenas cinco séculos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas

Start typing and press Enter to search