Estudo revela que o Android coleta 10 vezes mais dados de usuários do que o iOS - Anonymous Hacker

[Latest News][10]

Análise de Vulnerabilidade
ANDROID
ANONYMOUS
ANTI-DDOS
ANTI-SPYWARES E ADWARES
APK PRO
APOSTILAS
CIÊNCIA
CURSO PHP
CURSO TCP / IP
CURSOS
CYBORG
CYBORG FALÇÃO
DDOS
DEEPWEB
DICAS
DOCUMENTARIO
DoS
EXPLOIT
FACEBOOK
Ferramentas de rede
FORENSE DIGITAL
INVASÕES
IPHONE
JOGOS
KALI LINUX
Lixão
MAC OS
Malware
MySQL
NOTÍCIAS
PAGINA FAKE
PHP SCRIPT
Programa De Invasao
PROGRAMAÇÃO
PROGRAMAS
PROXY
SCRIPTS
SEGURANÇA
SHELL
SISTEMA OPERACIONAL
TÉCNICA DE INVASÃO
Termux
VIDEOS
VPN
WHATSAPP
WINDOWS
Wireless Attacks
z=

Estudo revela que o Android coleta 10 vezes mais dados de usuários do que o iOS


Um estudo recente conduzido pela Vanderbuilt University mostrou que celulares movidos a Android enviam até 10 vezes mais dados de usuários do que os aparelhos com iOS. De acordo com os testes realizados pelo professor Douglas Schmidt, um aparelho Android ocioso rodando o sistema operacional mobile remete informações de geolocalização (baseadas no GPS) à Google cerca de 340 vezes por dia — uma média de 14 envios por hora.
A pesquisa menciona ainda que envios de localização respondem por aproximadamente 35% de todo o tráfego da Google. No caso do navegador Chrome, essa taxa chega a ser 50 vezes superior à de um iPhone rodando o browser Safari — cujo compartilhamento de dados com a Google ocorre apenas mediante ativação direta do usuário, conforme apontou Schmidt.
De fato, a Google reconheceu na semana passada que o histórico de localizações dos usuários do Android são enviados aos seus servidores mesmo com a opção desabilitada. Para efetivamente cortar o compartilhamento, o usuário precisa alterar as configurações na guita “Web and App Activity”.

Processo por “intromissão”

A Google é atualmente alvo de um processo por conta do envio inadvertido de dados de geolocalização. A ação foi movida por um sujeito na cidade de San Diego (Califórnia, EUA), após o homem descobrir que seu celular continuava compartilhando sua localização mesmo depois de desabilitado o histórico, o que foi considerada uma “intromissão altamente ofensiva para qualquer pessoa razoável”.
Posteriormente, a companhia atualizou seus documentos de suporte com um passo a passo detalhado que explicava como desativar permanentemente o envio — dessa vez, deixando claro que a opção não afetaria outros serviços relacionados à localização e também avisando que alguns dados continuariam a ser salvos no aparelho.
De qualquer forma, vale lembrar que os modelos de negócios da Apple e da Google são consideravelmente distintos no que se refere à geração de receita. Enquanto a Maçã tem seu principal quinhão na comercialização de hardware, a Google depende principalmente de sua receita com anúncios. Não obstante, isso jamais impediu que a Apple convertesse as discrepâncias no volume de coletas de dados dos usuários em bandeira de marketing.

Sobre

trabalho com segurança da informação a 13 anos, grande parte desse tempo como professor. Fiz meu bacharelado em ciência da computação, especialização em segurança da informação e logo após, mestrado em ciência da informação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Start typing and press Enter to search